domingo, 18 de setembro de 2016

Bienal do Livro 2016

Acredito que o momento do ano mais esperado para qualquer escritor é a Bienal do Livro. Não seria por menos já podemos começar com a energia do lugar, que é maravilhosa, os livros em promoção e possibilidade de encontrar pessoas fantásticas pelos corredores, assim como, Maurício de Sousa. Também é um lugar de encontros de leitores, escritores e amantes da literatura em geral. Onde sonhos se materializam e universos paralelos são comprados.

Esse ano a segunda edição do livro "O Senhor da Luz - A Saga de Datahriun" foi lançado pela Madras Editora, através do selo Madras Teen. O livro ganhou capa e diagramação novas, reestruturação de capítulos e um capítulo extra, compartilhando com vocês um pouco mais do passado da Lícia. Mas para quem comprou a primeira edição, calma. A história não foi alterada e não é necessário adquirir a nova edição para ler a continuação da saga que será lançada (ainda não tenho data, mas será, juro!).

Encontrei vários leitores, escritores e amigos durante a feira e agradeço imensamente a todos que foram. São as pessoas que fazem os momentos e a presença de cada um de vocês foi muito importante.

Por fim, a venda do livro foi um sucesso. EBA! E fiquei no top 10 mais vendidos da editora. Obrigada!

A Bienal acabou faz pouco tempo, mas eu já estou morrendo de saudades! Ainda bem que ano que vem tem mais.

Com amor,
Graci Ruiz.

domingo, 12 de junho de 2016

Um sonho: escrever um livro

Existem muitas dúvidas sobre como escrever um livro, uma delas é: como terminá-lo? O problema é que não existe uma única resposta para essa pergunta, nem mesmo uma fórmula para seguir. Terminar de escrever um livro é como conquistar qualquer outra coisa em sua vida, precisa de muito trabalho e dedicação.

Há alguns meios que podem tornar esse caminho mais fácil e aqui eu lhe darei algumas dicas, mas vamos deixar claro que dicas não são regras e você pode adaptá-las de uma forma que se encaixe melhor para o seu perfil. Então, vamos lá:

Tenha domínio sobre o assunto que você irá escrever, faça todas as pesquisas necessárias, lugar e época em que a história irá se passar e crie o perfil dos personagens.

Estruture a sua história antes de começar a escrever, assim como os capítulos. Se você não fizer isso antes de começar é muito provável que se perca no meio do caminho. Caso você já tenha começado, não tem problema, tente fazer isso agora.

Tenha disciplina, muita disciplina. O mundo irá trabalhar para desviar a sua atenção e as redes sociais são uma armadilha terrível, além disso, você com certeza irá perder alguns almoços de família e várias horas com os amigos.

Se alguma parte do livro está difícil de escrever, não pare! Continue e termine, se deixar para o dia seguinte será ainda mais difícil recomeçar e é nesse momento que o tão famoso "bloqueio criativo" pode acontecer.

Escrever é um exercício diário e a excelência vem com a prática, sendo assim, pratique sempre, inclusive em seus dias ruins.

Exercite sua imaginação: leia muito, vá ao teatro, assista filmes e séries, busque inspirações nos mais variados lugares e não deixe escapar nem mesmo aquela conversa no bar. Boas ideias podem vir nos momentos mais inusitados.

Espero que eu tenha lhe ajudado e que alguma solução venha desse post, se ainda tiver alguma dúvida me escreva e abordarei o assunto em uma próxima vez. Até mais! :)

domingo, 15 de maio de 2016

Como começou "O Senhor da Luz"

Era uma vez cinco amigos que estudavam juntos, dois deles eram artistas: uma escritora e um desenhista. Um dia surgiu a ideia de uma história sobre um mago muito poderoso que guardava uma caixa mágica que era aberta por cinco chaves.

E foi, então, que a magia começou.

O portal da imaginação se abriu e eles foram levados para Datahriun, onde se tornaram cinco guardiões com a missão de trazer de volta o equilíbrio desse misterioso planeta.

Mas para que tudo desse certo (ou não) e os guardiões completassem sua missão era necessária muita disciplina para colocar essa história no papel e escrever “O Senhor da Luz – A Saga de Datahriun” foi um grande desafio, começou com algo sem compromisso, apenas para a diversão e tomou proporções cada vez maiores.

Para começar o livro não se chamava “O Senhor da Luz” ele ganhou esse nome depois de muito tempo. Primeiramente era somente “Datahriun”, o nome me agradava, porém gerava muita confusão e o seguinte diálogo era frequente:

-Ah, você escreve? Que legal! Qual o nome do livro?

-Datahriun.

-Data o quê?

Foi aí, que eu percebi que esse nome não daria certo.

Os personagens também tinham nomes diferentes a Nahya se chamava Laiane e a Lícia era Sávia. Dá para imaginar Lícia e Nahya com esses nomes? Estranho, não?

A primeira versão do livro foi um verdadeiro desastre! Ele foi reescrito tantas e tantas vezes que eu perdi a conta, devo ter mais de dez versões somente para os primeiros capítulos.

Apesar de tudo, esses foram somente detalhes, o que mais me prejudicou para finalizar o livro (além da falta de tempo), foi que Datahriun não foi estruturado antes de eu começar a escrever e isso me deu muita dor de cabeça durante a história. Frequentemente eu me perdia, os fatos não faziam sentindo ou eu tinha que parar o andamento da história, estruturar o que precisava, arrumar o que havia ficado errado e só então, continuar.

Três longos anos se passaram, até a primeira parte da jornada ser completada e “O Senhor da Luz – A Saga de Datahriun” ter sua primeira versão, mais dois anos foram necessários para reescrevê-lo e ser enviado para uma editora. Apesar de acreditar muito na história, ainda assim, eu achava que o livro poderia ser melhorado, eu estava certa, ele podia, mas não naquele momento.

Aquela era a hora de testar se o mundo que eu havia criado fazia sentido para outras pessoas além de mim e meus amigos que me acompanharam nessa jornada e foi indescritível a sensação de quando eu recebi a primeira resenha do “O Senhor da Luz”. Fazia sentido para mim e fez sentido para vocês.


A saga continua... 

sexta-feira, 29 de abril de 2016

Desapegue

É comum nos apegarmos as coisas, aos lugares, aos projetos e principalmente as pessoas. É comum nos acomodarmos, criarmos rotinas e nos conformarmos, mas não se deixe levar por tudo isso: desapegue.

Comece doando as roupas que você não precisa do guarda-roupa, se livrando do que é desnecessário para a sua vida. Pense um pouco mais em ser do que ter. Ao invés de ostentar bens luxuosos, ostente conhecimento. Entre trocar de carro e fazer uma viagem, escolha a viagem e enriqueça um pouco mais.

Desapegue daquele projeto que você não consegue terminar nunca, porque sempre acha que pode melhorar. Você realmente pode e deve, mas por que não fazer isso no próximo? Mostre para mundo do que você é feito e mostre para ele também a sua evolução.

Desapegue das pessoas. Se não te faz bem, porque manter contato? Por que ter medo de terminar aquele relacionamento desgastante que não vai levar a lugar nenhum? Não tenha medo de ficar “sozinha/o” aproveite esse tempo para se conhecer melhor, se curtir, amadurecer. Liberte-se.

Largue aquele emprego chato! Mas não passe fome, por favor. Se você não gosta do que faz planeje para mudar de área, busque alternativas, tenha um plano B e mantenha sempre a mente aberta para novas oportunidades. Um negócio lucrativo pode surgir da onde menos se espera.

Quebre as correntes. Nós fomos moldados a viver de acordo com as normas da sociedade e na maioria das vezes nos deixamos levar por isso. Por exemplo, você foi ensinado que o ciclo natural da vida é estudar, trabalhar, casar e ter filhos, mas não precisa ser exatamente assim. Faça as suas próprias regras.


Enfim, não se apegue. Não se acomode. Não se prenda. Mude sempre. Evolua. O mundo não para de girar, por que você iria permanecer parado?

segunda-feira, 25 de abril de 2016

Quando Outubro Acabar

Olá, pessoas! 
Emoticon smile
Eu sei que vocês estão super ansiosos para a continuação da saga de Datahriun, porém hoje estou aqui para apresentar para vocês "Quando Outubro Acabar" que é um romance protagonizado por Lilian Bettini, mas eu vou deixar a sinopse explicar um pouco mais sobre a história:

"Como chegamos à beira do precipício é fácil saber, o difícil é ter forças para não pular.
Lilian Bettini era uma garota de 16 anos que estudava no ensino médio e tinha uma vida extraordinariamente comum, até chegar o mês de Outubro, aquele que virou sua vida de cabeça para baixo. 
Como toda garota da sua escola, Lilian tinha uma queda por Tiago. Ele era aquele tipo de garoto popular e bonito do colégio, mas ainda assim muito reservado e até misterioso. Naquela manhã chuvosa de primeiro de Outubro eles conversaram pela primeira vez, porém o destino tinha outros planos para ela e foi em uma festa que ela conheceu Victor, um garoto simpático e sedutor, mas Outubro estava apenas começando, ainda iria reservar muitas surpresas e reviravoltas. Tudo poderia mudar.

O amor pode surgir nas piores situações e através das mais profundas cicatrizes."
Eu trabalhei nesse livro durante o ano passado e por enquanto ele ainda não tem data para publicação. Espero que gostem e que em breve eu traga mais novidades para vocês! 
Emoticon heart
Não esqueçam de deixar suas primeiras impressões nos comentários!

quinta-feira, 14 de abril de 2016

Sonhos

Se existe um assunto que eu realmente gosto de falar é: sonhos. O que faz você acordar todos os dias de manhã? O que te faz feliz? O que te faz continuar? E acho que não existe maneira melhor de retomar o blog do que por esse assunto.
 
Considero-me uma sonhadora, nasci assim. Com a cabeça no mundo da lua, cheia de ideias impossíveis e vivendo em mundos imaginários. Não é à toa que virei escritora de uma saga de ficção fantástica.

Acredito que se descobre muito sobre uma pessoa a partir dos sonhos dela. Os que realizou, os que desistiu, os que ainda deseja alcançar e principalmente os que julga serem impossíveis. E são os impossíveis que eu acredito serem os mais importantes, porque não são todas as pessoas que os têm.

Um sonho “impossível” geralmente é aquele que está tão distante que não vemos como podemos alcançá-lo, mas isso não significa que não podemos alcançá-lo. É sempre necessário dar o primeiro passo, começar pequeno para depois se tornar grande. Talvez você realmente não consiga realizar o seu grande sonho, dependendo de quão mirabolante ele seja, (afinal somos sonhadores, mas também temos que ser realistas) mas com certeza irá chegar perto, estará no caminho que queria e finalmente se sentindo realizado.

Os grandes sonhadores sempre têm sonhos “impossíveis”.

Os sonhos te dão um objetivo de vida. Um ponto de luz para seguir. Se você sabe o que quer e para onde tem que ir, é mais fácil enxergar e cortar coisas que estão te afastando do seu objetivo, que não estão te agregando e em resumo estão fazendo você perder tempo. Ter um objetivo te ajudará a não se acomodar, manter-se em constante movimento, te tornará mais audacioso e te lembrará de nunca desistir.


Keep dreaming.

segunda-feira, 4 de maio de 2015