segunda-feira, 3 de março de 2014

Conto: Assassina de Aluguel - Parte 1

Ela ergueu o olhar para o relógio, os grandes ponteiros do Big Ben marcavam exatamente meia-noite.Passou a mão sobre a boca, havia sangue. Ainda lembrava-se de quando era criança odiava ver sangue, odiava seu cheiro, mas agora era diferente, o sangue tornara-se um desejo e seu odor a enlouquecia. O líquido que a mantinha viva e causava mortes. Todas as noites ela cumpria a mesma sina, uma caçadora ensandecida, mas ela não tinha o que reclamar, adorava isso, tinha sonhado, mesmo que inconscientemente com essa vida. Era prazerosa!

Fixou seus olhos azuis no rapaz caído aos seus pés. Morto.Um sorriso cínico brotou em seu rosto pálido, não costumava sorrir, não gostava.

Pegou o corpo do rapaz e jogou no banco traseiro do carro, um conversível vermelho. Entrou e dirigiu-se ao seu destino, não poderia se atrasar nem mais um segundo.

***

Ele olhava para o seu relógio de pulso, os cabelos grisalhos caíram nos olhos atrapalhando a visão, ele jogou-os para trás e olhou novamente, era meia-noite. Ela sempre atrasava, ele sabia, mas fazia questão de chamar sua atenção todas às vezes, essa não seria diferente. Levantou-se e foi até uma mesinha á frente do computador, serviu-se um pouco de whisky, sentou-se em um pequeno sofá preto e esperou.

Um vento frio bateu na janela fazendo a cortina branca balançar. Ele levantou e foi fecha-la. Olhou para o relógio mais uma vez, meia-noite e dez.

__Você está há 10 minutos atrasada, Jasmine.

__Achei que você já tinha se acostumado.

__E eu achei que você soubesse usar o elevador.

Ele virou-se e viu a bela mulher deitada em seu sofá, loira, unhas grandes e vermelhas, segurava um copo de whisky.

__Quem precisa de elevador quando pode ser como eu?

Ela levou o copo à boca manchando-o com seu batom.

__Abusada... Como sempre.

Ele riu. Ela continuou séria.

__Tenho a leve impressão de que você não veio sozinha no seu carro hoje. Já disse para você não me trazer mais problemas.

__Não me venha com essa agora! Você sempre consegue tudo nessa cidade, mas me desculpe... É o instinto.

Ele descobria tudo. Como? Pergunta que muitos se fizeram e nenhum obteve a resposta. Manipular as pessoas era o seu dom e isso chegava a dar medo até em Jasmine. Sentia-se vulnerável.

__Melhor controlar-se então, esse é o último.

__Ah... E quando você não tiver trabalho para mim, o que eu faço? Morro de fome?

__Não se preocupe, querida... Depois de hoje você nunca mais terá que se preocupar com isso.

__Gostei! – respondeu tomando mais um gole da bebida – Quem será o felizardo de hoje?

__Felizarda. O envelope está em cima da mesa. Quero a morta antes das duas da manhã. - disse enquanto abria a porta de outro cômodo entrando e fechando-a logo em seguida.

__Seu desejo é uma ordem.

8 comentários:

  1. Sombrio..tenso !! Senti uma forte inspiração num tal de Vianco...rsrsrsrs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Você acha? hahaha... Com certeza foi inspirado no Vianco :)

      Excluir
  2. Denso, exatamente da forma que eu gosto. Adorei a personagem principal.
    Por que não coloca o conto completo na Amazon?

    M&N | Desbrava(dores) de livros - Participe do nosso top comentarista

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não tinha pensado nisso... mas tenho vários contos.
      Vou deixar esse aqui, vou estudar para por os outros na Amazon. Obrigada :D

      Excluir
  3. Adorei!! Posta mais, quero ler! É um conto de que tamanho? Tu não pensa em fazer dele um livro? Fiquei curiosíssimaaaa, se quiser me passar ele todo me manda um e-mail que fiquei louca pra ler luizacorral@msn.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Luiza :)
      Que bom que gostou!! Por enquanto não pretendo fazer um livro dele.

      Excluir
  4. Escreva outro livro! Meu Deus, como você escreve bem. Me manda todo ele?
    br.un.a@hotmail.com
    Parabéns, beijos :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Bruna!! Eu estou escrevendo a continuação de O Senhor da Luz, eu gostaria de escrever outro livro, mas não tenho tempo!!

      E obrigada :D

      Excluir